2 de jun de 2012

Ferreira Gullar e a Poesia

Irineu Tolentino

É claro que a ironia de Ferreira Gullar sobre o valor da poesia - referida no post anterior - não me fez entendê-lo como um poeta sem valor. Ele está aí, há décadas, fazendo Literatura. É e deve ser respeitado por isso. Tem credenciais para tanto.

No primeiro vídeo abaixo, ele fala da poesia. Mas, nesse particular, com todo o respeito (talvez até por questão de gosto), ele não me impressiona. Admiro-o mais pelo que está fora dela: seu pensamento, sua personalidade, sua clareza, e, sobretudo, sua sinceridade.

No segundo vídeo, ele passa pela religião e pela filosofia de forma magistralmente humana e sincera. Não entro no mérito se ele está certo ou errado. Gosto da forma como ele vê esses temas e o próprio ser humano.

Poesia à parte - embora ele a tenha elegido como sua forma preferida de se comunicar com o mundo - eu o classifico mais como um intelectual. Um ser humano autêntico, inteligente e genuíno.







2 comentários:

  1. O sentido da vida é o mesmo do relógio: da esquerda pra direita, de cima pra baixo

    ResponderExcluir