8 de jul de 2012

Sobre a "credibilidade" da internet


Merda no Ventilador

Marta Matui

É incrível o número de textos adulterados que recebemos pela internet. Ora falsamente assinados, ora com traduções que mudam completamente o sentido.

Recebi outro dia um texto de Mario Benedetti em português. Traduziram a palavra "aniñado" por animado. Então o texto dizia "que eu continue sempre animado" e o original dizia "que eu permaneça sempre como criança". Os textos assinados indevidamente são claramente uma farsa mas somente para quem conhece o autor.

Outro dia recebi um texto contra o BBB, assinado por Luis Fernando Veríssimo. Estava na cara que não tinha sido ele que escrevera, o estilo não tinha nada a ver. Mas o povo passa pra frente, nem se liga.


"Continuaremos recebendo textos 
com mensagens idiotas, cinicamente assinados
por Freud, Einsten, Darwin ou Dalai Lama. E os livros, estes continuarão nas prateleiras"


Uma vez recebi uma série de anúncios feitos por um diretor de arte brasileiro, eram gráficos em forma de mapas de vários países. O texto dizia que eram gráficos da ONU, nada a ver. A ignorância encontrou solo fertil na internet, disso sabemos todos nós.

Claro que textos incríveis, reais, verdadeiros, também rolam por aí. Mas estes são de difícil entendimento. Exigem reflexão, estão dentro de um contexto. Não interessam muito ao homem comum que gosta de coisa rasa. E, por isso, continuaremos recebendo textos com mensagens idiotas, cinicamente assinados por Freud, Einsten, Darwin ou Dalai Lama. E os livros, estes continuarão nas prateleiras.

O mundo está cheio analfabetos. Não os pobres coitados que realmente não sabem ler, mas os que sabem e só usam esse conhecimento para ler placa de rua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário