24 de mai de 2012

Os IPOs e seus perigos...

Irineu Tolentino

Tenho como regra que IPO é para profissionais, parceiros ou pessoas chegadas dos proprietários da empresa. O pequeno investidor deve procurar ficar longe disso, principalmente porque as informações divulgadas nunca são claras o suficiente para permitirem uma análise segura.

Se nos casos de empresas tradicionais na bolsa, com experiêcia de mercado, velhas conhecidas dos investidores, com informações divulgadas regularmente, com histórico, etc. é difícil calcular o futuro, imaginem uma empresa estreante... Basta conferir os IPOs mais recentes na Bovespa: Magazine Luíza, Júlio Simões Logística...

As fortes campanhas de marketing que antecedem o lançamento criam uma euforia que infla o preço. É natural que, pouco tempo depois, senão no dia seguinte, passada a euforia, haja um refluxo nos preços, só estabilizando após os interessados se acalmarem e fizerem uma análise mais refletida.

E há casos piores, onde coisas estranhas envolvem os negócios. Veja, por exemplo, o caso do Facebook, conforme a matéria abaixo, divulgada no Último Instante:


"Um grupo de acionistas apresentou nesta quarta-feira um processo em Nova York contra o Facebook, o fundador, Mark Zuckerberg, e bancos investidores, liderados pelo Morgan Stanley, acusados de esconder que previam uma severa queda das receitas da rede social antes do IPO.
 

"Na realidade, no momento da estreia na bolsa, o Facebook estava passando por uma severa e pronunciada redução no crescimento de suas receitas por causa do aumento dos usuários de sua aplicação na web através dos dispositivos móveis no lugar de computadores tradicionais", diz o processo apresentado no Tribunal do Distrito Sul de Nova York.
 

Além de Zuckerberg, o diretor financeiro do Facebook, David Ebersman, e outros membros do conselho de administração da empresa, assim como os bancos Morgan Stanley, JPMorgan, Goldman Sachs e Barclays, serão investigados.

Todos eles são acusados de não informarem sobre a queda do Facebook enquanto a empresa captava investidores para sua oferta pública de venda de ações (IPO), com a qual a empresa arrecadou pelo menos US$ 16 bilhões, a terceira maior saída na Bolsa de uma empresa americana da história.

De acordo com o processo, a rede social e os bancos investidores "reduziram suas previsões de rendimento do Facebook para o segundo trimestre e no ano. No entanto, a informação não foi compartilhada com todos os investidores de Facebook, mas seletivamente revelada a alguns".

 
Leia Mais: http://www.ultimoinstante.com.br/bolsa-de-valores/72105-Acionistas-processam-Facebook-bancos-investidores-por-fraude-IPO.html#ixzz1vkdpYdWz

Nenhum comentário:

Postar um comentário