17 de mai de 2012

Dilma e a prova dos nove

Irineu Tolentino

Não adianta! Elogiar Dilma é ter que suportar o  rótulo de ser petista, mesmo não sendo. Não tenho partido nenhum, aliás, partido no Brasil é só uma sigla sem qualquer significado de convergência ideológica. Houve um tempo em que eles eram constituídos com base em uma idéia central, um programa e sonhos...muitos sonhos.

Eu não votei na Dilma, votei na Marina. E não votei na Dilma  apenas porque achei que era preciso dar a vez  a pessoas novas politicamente. Marina, para mim, significava mudança, Dilma a continuidade do governo Lula (que foi muito bom para o Brasil, mas eu não gosto da idéia de um grupo criar raízes no governo. Aliás, Lula concordou com isso, tanto que não quis mudar as regras do jogo como fez FHC).

Se quisermos ter um Brasil melhor lá na frente, temos o dever da sinceridade política (no mínimo isso). Quando Dilma era candidata a Presidente (ou Presidenta como queiram), ela era pintada como um monstro, uma guerrilheira revolucionária, uma censora da imprensa, uma pessoa que tinha ligações estreitas com as FARCs, uma mulher que fecharia as igrejas evangélicas, prenderia os gays, comeria criancinhas ...e tantas outras bobagens.

Aliás, até se espalhou na "grande mídia" uma ficha falsa sobre ela. Olha a que ponto chegamos na disputa eleitoral da qual ela foi candidata...

As pessoas liam superficialmente as "notícias", e-mails e postagens anônimas sem senso crítico; faziam juízos perenes e inabaláveis a partir do lixo espalhado na internet, e até em jornais e revistas. Não davam qualquer atenção aos raciocínios contrários.

Hoje ela está aí, Presidente do Brasil (ou Presidenta, como queiram. Acho um saco esse troço de Presidente/Presidenta).

Ela enfrentou os bancos baixando os juros, sustenta com dignidade a imagem do Brasil no exterior, colocou em vigor a Lei de Acesso à Informação permitindo não só à imprensa, mas a qualquer cidadão, conhecer as entranhas dos órgãos públicos, instituiu a Comissão da Verdade, moralizou os preços dos hotéis no Rio, usurpados pelos empresários oportunistas e pilantras por conta da Rio+20 (Aliás, que vergonha, hein seus safados? Agora vão ter que devolver o dinheiro, em alguns casos até 60% do que extorquiram).

Ou seja, só por isso já daria para calar a boca de muita gente. Uma mulher, que já foi severamente torturada quando menina, chegar à presidência do Brasil e ainda por cima, com altivez rara, propiciar tantos benefícios aos brasileiros.

"- Mas isso é obrigação dela", vão dizer os desavisados.  Sim, tudo bem, mas fale isso para o seu Governador, Prefeito, Deputados, Vereadores... Eles também não têm obrigações pra com o povo?

Não tem jeito gente! Pessoas com vontade de mudar o Brasil e coragem para fazê-lo são raras. Precisamos aproveitá-las! Pode ser que lá no futuro eu não abone algum ato da Dilma (pode ser, por que não?), mas, por enquanto, do que vejo, só elogios.



Nenhum comentário:

Postar um comentário