29 de mai de 2012

Gilmar Mendes x Lula: quem é o Pinóquio?


Irineu Tolentino

A ida do Ministro Gilmar Mendes (STF) ao escritório do agora advogado Nelson Jobim, alegadamente a convite do ex-presidente Lula, está dando o que falar.

De tudo o que vi e li, é uma hipocrisia só!

Primeiro, porque Lula, Mendes e Jobim atuavam no primeiro escalão da Esfera Federal (Lula como Presidente da República, Mendes e Jobim como Presidentes do STF). É óbvio que havia contato entre eles, tinha que haver. Os Ministros do STF são indicados pelo Presidente da República  (no caso, os dois foram crias de FHC). É natural que, vez por outra, cruzem-se e conversem entre si, inclusive sobre assuntos delicados (isso é perfeitamente normal, não sejamos ingênuos). "Faz parte", como diria o "filósofo" Bambam.

Ocorre que, os gigantescos esquemas Mensalão e Cachoeira/Desmóstenes estão envolvendo muito mais gente que o "previsto".

Após o encontro ocorrido no escritório de Jobim, Gilmar Mendes, em declarações à revista Veja, "revelou" que Lula solicitou a ele o adiamento no julgamento do processo do Mensalão, ao dizer que "É inconveniente julgar esse processo agora". Segundo Mendes, Lula queria que o julgamento fosse feito após as eleições municipais. Lula, por óbvio, nega tal insinuação, o que é corroborado por Nelson Jobim, a única testemunha presencial.

Agora fica a pergunta: quem é que está com a verdade, Lula ou Gilmar Mendes?
 
Lula não é mais Presidente do Brasil e está livre para trabalhar para o PT. Gilmar Mendes, por seu turno, ainda é Ministro do STF. O que é que ele estava fazendo no escritório de um advogado? Por qual razão ele resolveu discutir sobre um processo sub judice no STF e, pior, relatar o ocorrido à revista Veja e não a uma delegacia?

Notem que, como ele ainda é Ministro vinculado ao caso, cometeu uma ilegalidade e falta de ética sem tamanho. Ele sim, deve explicações à Nação. Lula, dá se quiser. Como não mais está vinculado ao Governo, ele é livre para administrar seus interesses e defender como bem entender seu patrimônio político (claro, de maneira lícita). Até por que, não está depondo ou prestando declarações em juízo.

Chama ainda a atenção o fato de a revista Veja, confidente de Gilmar Mendes, se arvorar no direito de "Corregedora Nacional", ao se dirigir à assessoria do Ex-Presidente Lula, com toda a prepotência do mundo, dizendo: "Estamos fechando uma matéria sobre o julgamento do mensalão para a edição desta semana. Gostaríamos de saber a versão do ex-presidente Lula sobre o encontro ocorrido em 26 de abril, no escritório do ex-ministro Nelson Jobim, com a presença do anfitrião e do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, no qual Lula fez  gestões com Mendes sobre o julgamento do mensalão". 

O que é isso? Imprensa ou Inquisição? 

A revista Veja, ouvindo apenas as declarações duvidosas e inconsistentes de Gilmar Mendes, já deu a sentença: "Lula fez gestão".

Como essa revista, de alcance nacional, não sabe que "Testis unus, testis nullus"?
 
Poupe-me, né Veja?

Um comentário:

  1. O Ministro Marco Aurélio (STF) posicionou-se em favor de Lula. Um Ministro com bom senso. O que a revista Inquisidora tem a dizer a respeito?

    http://goo.gl/EQHEh

    ResponderExcluir