20 de jun de 2013

Fundos para o Passe-Livre


De novo, os gestores procuram a pior saída para o problema: baixar as tarifas do transporte público mediante a criação de uma nova fonte de receita.

Isso faz qualquer administrador profissional ficar estarrecido.

Não se aumenta receitas por decreto. Fazer isso piorará ainda mais as coisas. A sociedade já deu seu recado: está pagando demais e tendo retorno de menos.

O que se deve fazer é cortar despesas, gastar de forma mais responsável, evitar prejuízos e coibir a corrupção.

Isso pode até soar como uma saída retórica e evasiva, mas não é. Veja uma receita possível para o bolo (sujeita ao debate e ao laboratório):

a) Cortar despesas - enxugar os quadros públicos, melhorar o processo produtivo reduzindo as minúncias e as burocracias (o princípio de Pareto pode ajudar aqui),

b) Gastar de forma mais responsável - focar as prioridades e trabalhar com uma visão de longo prazo, fazendo com que o dinheiro renda frutos por mais tempo (de novo, Pareto pode ajudar);

c) Evitar prejuízos - Nem seria preciso dizer, né? Quantas obras públicas inacabadas e investimentos mal planejados vemos por aí?

d) Coibir a corrupção - Aperfeiçoar os Tribunais de Contas, Polícias e Ministério Público, investir em sistemas e equipes de inteligência, fomentar as denúncias criando canais de comunicação com a população, prestar mais atenção às valiosas informações da imprensa e agir de forma proativa.

Vale lembrar ainda que, melhorar a educação e a saúde, pelo menos, aliviará a classe média permitindo-a que seus filhos retornem às escolas e sistema de saúde públicos. O passe-livre, por sua vez, muito provavelmente resolverá os problemas de trânsito e a locomoção que assolam as grandes cidades (e até mesmo cidades menores), coisa que até então era uma pedra no sapato dos prefeitos.

Viram? Temos aí um bom conjunto de tarefas a serem consideradas.

Esse movimento "passe-livre", que acabou se ampliando, foi uma sacada genial. Alguns jovens e uma rede social criaram um brainstorming gigantesco. Vamos aproveitar o momento e pensar o Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário